Fabricantes de produtos para animais são impactados com o caso dos petiscos contaminados

everyday bassar

Talita Lima, diretora-executiva da Aralez Assuntos Regulatórios, alerta que essa situação pontual movimentará uma rigorosa fiscalização no setor de alimentação animal em um todo.
O MAPA já determinou que fabricantes de alimentos e mastigáveis indiquem os lotes de propilenoglicol existentes em seus estoques e seus respectivos fabricantes e importadores.
Essa situação já abrange os fabricantes das demais categorias de produtos para as demais espécies de animais.

Fabricante de Produtos para animais é interditada

Nos últimos dias, dezenas de cães morreram ou tiveram intoxicação em diversos estados brasileiros e no Distrito Federal após ingerirem os petiscos fabricados pela empresa Bassar Pet Food.
A investigação sobre os casos, inclusive, levou à interdição, no último dia 2, da fábrica da Bassar em Guarulhos, na Grande São Paulo, por suspeita de contaminação em produtos de alimentação animal e ao recolhimento de todos os lotes de produtos pelo Ministério da Agricultura.
Em nota, a Bassar Pet Food disse que está recolhendo todos os itens produzidos desde 7 de fevereiro de 2022, e não apenas os que utilizam o insumo (propilenoglicol) do fornecedor em investigação.

Fabricante de produtos para animais
Petisco EveryDay e Dental Care

Estabelecimentos sem registro no MAPA

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informa que os resultados preliminares das análises realizadas nos Laboratórios Federais de Defesa Agropecuária (LFDA) detectaram monoetilenoglicol como contaminante de propilenoglicol em lotes de produtos da empresa Bassar.

Até o momento, as investigações ainda não determinaram a origem do aditivo utilizado, em virtude da falta de rastreabilidade dos envolvidos e da mistura de lotes de aditivos nos diferentes estabelecimentos já identificados sem registro no Ministério. O propilenoglicol é um produto de uso permitido na alimentação animal, desde que seja adquirido de empresas registradas no Mapa.

As empresas têm o prazo de 10 dias para atender às determinações

Fabricantes de alimentos e mastigáveis para animais

O Sipoa (Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal) determina que fabricantes de produtos para animais devem indicar os lotes de propilenoglicol que possuem em seus estoques, para garantir a segurança do uso desses produtos. 

Em caso de resultado não conforme, as empresas devem recolher os produtos e informar o SIPOA da região.

Os laboratórios parceiros da Aralez realizam as análises necessárias a fim de comprovar a qualidade, eficácia e segurança do produto. Lembramos que não é qualquer análise que o Mapa aceita. O laboratório deve ser credenciado e as análises devem ser feitas de forma correta. Caso precise dessas análises, nos chame no WhatsApp.

Fabricantes e importadores de propilenoglicol

O Dipoa (Departamento de Produtos Químicos do Brasil) solicitou que fabricantes e importadores de propilenoglicol se manifestem quanto à fabricação, importação ou compra deste produto no Brasil a partir de dezembro de 2021. A solicitação inclui a identificação dos lotes, o quantitativo adquirido e suas origens.

A Aralez está com um corpo técnico alerta e efetivo para orientar com base nas legislações do Mapa e regulamentar os estabelecimentos que fabricam ou importam produtos a base de propilenoglicol. 

A gente abre os caminhos da regulamentação sempre tendo como foco o cumprimento das leis.

Fabricantes das demais categorias de produtos para as demais espécies de animais

Essa situação impacta os fabricantes das demais categorias de produtos para as demais espécies de animais que também devem indicar se usam o propilenoglicol na composição dos seus produtos e quem são os fornecedores do aditivo. 

As empresas têm o prazo de 10 dias para atender às determinações do Dipoa. A não comunicação ao SIPOAS será interpretada como não utilização do propilenoglicol e as empresas serão fiscalizadas quanto à veracidade das informações prestadas.

A qualidade do seu produto não pode ser deixada de lado em momento algum.

Hoje em dia, a relação do ser humano com os animais deixou de ser apenas funcional e evoluiu para uma verdadeira amizade. Por esse maior envolvimento afetivo com os animais domésticos, qualquer problema relacionado à saúde destes bichinhos pode ter graves consequências para as marcas envolvidas. Além da reflexão que fica, o compromisso de oferecer um produto regulamentado é dever de qualquer fabricante .

Uma situação desta gravidade abala o setor como um todo e traz de volta os olhares e a atenção da fiscalização e dos consumidores. Esse é o grande impacto. Uma rígida fiscalização nos próximos tempos.

A Aralez atende clientes no ramo de Alimentação Animal. Conhecemos as exigências que o Mapa prescreve nos processos. 

Enquanto você se concentra na qualidade do seu produto, a Aralez quebra a caminhada burocrática da regulamentação em passos rápidos e eficazes.

Nossa equipe está sempre pronta para lhe atender e ajudar a tomar a decisão certa quanto ao fluxo da sua produção ou importação a fim de sempre estar dentro das Boas Práticas de Fabricação ou Importação.

Regularize com Aralez. Regulamente com Aralez. > Você também pode se interessar por COMO REGULARIZAR PETISCOS PARA PET NO MAPA.

Fabricantes de produtos para animais são impactados com o caso dos petiscos contaminados
Comparti-lhe

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email.